Sol e chuva

Céus!Perdoe-me pela volta ao tema insistente, mas é impossível não falar de clima quando Brasília, nos últimos dias, tem sido um extraordinário casamento de viúva. Ontem, numa distraída olhada pela janela do trabalho, quase chorei. O sol ainda intenso caía por trás das nuvens, transformando o céu num espetáculo de tons de azul, laranja e meios-termos de deixar o queixo caído e os lugares, comuns. Hoje, o fim da tarde foi marcado por um espetáculo diferente, de roteiro mais do que manjado: chuva forte, motoristas cautelosos, congestionamentos incompreensíveis. Quem sai na chuva é para se queimar, já dizia Matheus, o Vicente.

Anúncios

6 Respostas so far »

  1. 1

    said,

    Rodrigo, obrigada pela visita e pelo comentário no meu blog. Você disse que, na Tijuca, as padarias costumam ter um público cativo. Acredito que no Méier também seja assim. Aqui, felizmente, a padaria-mercado que temos é também a que vende alguns dos melhores pães do bairro, em termos de qualidade e variedade (para o meu gosto). Mas algumas estão mesmo fechando, uma pena. Teve uma que virou drogaria…
    Mudando de assunto, interessante o seu blog.

  2. 2

    André said,

    Quase chorou? Brasília está te deixando meio frouxo…

  3. 3

    Trovão said,

    Passei por lá e me senti foi meio perdido (pra não dizer muito). A cidade é um mar de retornos e voltas que sempre acabam levando a algum eixo (monumental ou não). E para sair do eixo e chegar a onde se quer, é preciso voltar aos retornos, tesouras, agulhas e afins…

    Mas fiquei também feliz com algumas ironias do urbanismo brasiliense. No setor bancário, por exemplo, há prédios de onde se pode ver os ministérios de cima. Numa cidade quase plana – e toda planejada – dá a impressão de que isso foi feito de propósito.

  4. 4

    rchia said,

    André,
    Estava mesmo à espera desse tipo de comentário. Deve ser o efeito do trabalho, se é que me entende.

    Trovão,
    A tesourinha merece um capítulo à parte. Quando eu a dominar plenamente, tentarei escrevê-lo…

  5. 5

    Cris said,

    Oi, obrigada pela visita.
    Vim aqui dar uma olhada, gosto muito do jeito que vc fala de BSB. Quinta passo aí. Eu gosto de BSB, pelo pouco que conheço. Engraçado…lendo seus posts ainda não descobri se vc, afinal, gosta ou não de Brasília?

  6. 6

    […] em Uncategorized As louvações poéticas a Brasília raramente fogem aos ipês em flor, ao céu inigualável ou ao modernismo niemeyeriano. Outros tesouros da capital, enquanto isso, permanecem esquecidos […]


Comment RSS · TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: