Confusão urbana, suburbana e rural

Quer pagar quanto?Na quarta-feira passada, assisti, da primeira fila, coladinho ao palco, a uma apresentação de Paulo Moura e Armandinho. Para conseguir o lugar privilegiado, tive apenas de entrar no carro, descer o Eixo Monumental, estacionar diante da Catedral e caminhar poucos metros até o Conjunto Cultural da República. Lá, ao lado do iglu oficialmente conhecido como Museu da RepúblicaNacional, encontrava-se a modesta estrutura de cena, um cercadinho para convidados inexistentes e pouco mais. No início, distraído com versões inesperadas de “O morro não tem vez” e “Águas de março”, não consegui ir além da explicação fácil do feriado no dia seguinte. Um amigo entendeu melhor: não havia chamariz num show com dois músicos geniais e entrada franca. Faltava, em outras palavras, uma boa razão para sair de casa numa noite amena e apreciar música de alto nível ao ar livre. Eu, por sorte, não sou nada exigente.

Anúncios

1 Response so far »

  1. 1

    Ana Silvia said,

    E se eu lhe disser que a maioria acha que programa “digratisi” na Esplanada é coisa de pobre??!!


Comment RSS · TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: